Organização-Produtividade

Capítulo 5 – 5 razões para você não trapacear em testes psicológicos

É noite, você tem uma entrevista ou exame psicotécnico na semana que vem e procura sorrateiramente na internet formas de responder corretamente aos testes que serão aplicados. Decorando as possíveis respostas corretas, você acha que os testes psicológicos só dificultam o processo seletivo, e não são a sua infância ou uma mancha de tinta (a culpa é sua, cultura pop) que irão te impedir de conseguir! Você vai chegar, responder tudo politicamente correto com doses de visão e perfeccionismo e agir o mais normal possível, certo? Errado amigo, e você precisa entender algumas coisas antes de tentar trapacear em um teste psicológico.

  1. Você não é o único.

Assim como você teve a brilhante ideia de colar em um teste, boa parte dos seus concorrentes pensaram o mesmo que você e vão procurar os mesmos resultados na internet ou pedir dicas a amigos psicólogos (que, se forem éticos não vão ajudar dessa forma). Logo, todos irão dar respostas parecidas e uma luzinha vermelha irá acender, a de que tem algo errado. E talvez os recrutadores decidam eliminar aqueles concorrentes em que eles notaram algo errado. Pois é, eles não são bobos.

  1. O teste é apenas uma das ferramentas utilizadas em uma avaliação psicológica.

Um teste é uma ferramenta utilizada para medir uma pontuação. Porém o teste (e consequentemente, uma nota) sozinho não decide nada nem define quem você é. Empresas utilizam de várias técnicas para recrutar, e nem sempre uma nota alta em um único quesito garante a vaga. As informações são complementadas com entrevistas, dinâmicas, testes de idiomas e também são levadas em consideração criatividade e experiência. Fazendo uma analogia, o teste é apenas um tijolo em toda uma parede. Após todas as etapas é feita uma síntese e essa sim é a parte importante. Seu resultado pode ser ruim em um teste, mas no seguinte justificar o resultado do primeiro e você passará para a próxima fase. Então a coisa mais importante não é o teste em si e sim usar a sua energia focada em todo o processo e na interação.

Recrutadores preferem pessoas sociáveis, que gostam de trabalhar em equipe e que se doam pela empresa. Por mais que você acerte todos os testes, a sua personalidade é a coisa mais importante ali a ser testada, por isso capriche na sua apresentação. Busque sempre palavras que mostrem como você pode utilizar os seus talentos para somar à equipe ou empresa. Mostre que você é uma aquisição de valor e que com você eles serão mais criativos, produtivos e ganharão mais. Eu não recusaria alguém que fosse confiante assim.

  1. Você vai ser descoberto em algum momento.

Ok, você gabaritou todos os testes trapaceando, foi chamado para a próxima fase e é aí que a coisa fica mais complexa. Uma mentira se torna complicada de manter porque você precisa cultivá-la, e isso requer tempo, energia e recursos. Se você marcou no teste para sociável, simpático e eloquente mas se irritou fácil na dinâmica ou não trabalhou bem em equipe, uma das duas coisas aconteceu: ou você não está bem hoje ou você mentiu.

Os recrutadores sempre esperam que hajam alguns, digamos…exageros no currículo mas as inconsistências sempre surgem cedo ou tarde. Caso você se mostre super produtivo na teoria porém não na prática, existe a chance de você não passar do período de experiência. E como a empresa gastou dinheiro para contratar você (existem testes que custam cinco mil reais, pasme!) e o resultado foi ruim, serão ainda mais criteriosos com os próximos candidatos.

  1. Personagem líder e perfeccionista? Ele não cola tanto mais.

Muitas vezes a resposta é padrão: eu sou simpático, sociável, tenho perfil de liderança e meu defeito é o perfeccionismo. Ok, mas nem sempre é o que estão procurando. Certa vez fui a uma entrevista para trabalhar em um cinema e na minha hora de falar, falei empolgado da minha experiência e como faria para controlar os gastos a mais, checar fraudes e como seria um bom líder. Mas não estavam procurando exatamente esse tipo de pessoa, queriam apenas alguém para registrar os produtos e nada mais.

Resultado? Não consegui a vaga, mesmo sendo o único da sala com experiência anterior em pagamentos e com o público. A questão aqui é que ter um líder é bom, significa estabilidade mas após o líder escolhido, ter mais perfis de liderança pode terminar em atrito, brigas e disputas. O perfil de liderança não é mais o necessário, o candidato desejado seria o perfil colaborativo e que executa bem as tarefas dadas. Isso nos mostra o quão são necessários os outros perfis como engrenagens de uma empresa. O papel de líder é sim importante mas sem uma equipe unida e coesa, nenhum líder avança.

  1. Fuja dos testes de internet.

Quando você vê algum teste sério e validado na internet (não os do Buzzfeed ou aqueles “testes” que dizem que você é 1% da população ou tem QI de gênio) a sua mente decora partes do teste e a sua reação fica comprometida, logo não é confiável que você responderá de forma natural quando você o refizer. No mundo ideal, caso você se depare com um teste que já viu ou fez, você deveria chamar o aplicador e explicar que você não pode realizar aquele teste porque você já o conhece e não seria ético.

Ele então providenciaria outro tipo de teste inédito para você. Mas bem, na prática não acontece isso, então fique longe dos testes que estão na internet, até porque além da aplicação de testes exigir treinamento, um ambiente controlado e instruções bem rígidas (que você não conseguirá reproduzir em casa) boa parte deles não têm nada de real ou válido, são apenas caça cliques e podem te deixar confuso e instável. E sim, agora você sabe que deve avisar ao aplicador quando se deparar com o teste das manchas de tinta caso já tenha dado uma olhada nelas.

Se você tiver uma entrevista pela frente procure dormir bem, se alimentar de forma leve e vá otimista. Não seja humilde demais nem soberbo demais e foque nos seus pontos fortes, manejando os fracos. E caso não dê certo, não se dê por vencido. Outras pessoas também saíram, algumas antes de você. Vá pra casa, descanse e se prepare para a próxima. É uma batalha, mas  perseverança é a palavra chave. Não se esqueça de ter um currículo atualizado, estudar sempre e de ter diferenciais nas habilidades. Boa sorte!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.